Dia dos Namorados já está chegando e uma outra boa sugestão é comemorar a data no final de semana seguinte com um programa romântico e menos concorrido em um hotelzinho cheio de estilo e tranquilidade.  Para ajudar nesse programa especial, uma lista de hotéis exclusivos no RJ para comemorar o dia dos namorados.

A proposta por aqui são hotéis pequenos, charmosos, com boa gastronomia, uma super vista e muito romantismo para celebrar o final de semana em grande estilo. Uma super oportunidade de transformar essa data especial em uma experiência inesquecível!

A Ilha da Gigóia é um oásis em meio ao barulho e ao trânsito do Rio de Janeiro, um verdadeiro refúgio cercado de verde e silêncio cuja trilha sonora é o som dos pássaros, mas faltava uma coisa para tornar esse lugar perfeito: uma boa pousada. Para total felicidade da Paty, não falta mais! Desde o final do ano passado, a Ilha tem a deliciosa Pousada Barra Eco Boutique e o final de semana ficou ainda mais feliz por aqui!

 

A prosaica Ilha da Gigoia

O Rio de Janeiro esconde alguns lugares que são um verdadeiro tesouro escondido e ainda pouco conhecido de muitos cariocas e turistas, assim é a Ilha da Gigoia.

Situada no inicio da Barra da Tijuca ao lado de todo burburinho do bairro, mas protegida pelas águas das Lagoas, você encontra várias Ilhas cheias de silêncio, tranquilidade e natureza. Mas, para chegar nesse paraíso, somente é possível de barco e definitivamente isso não é problema! Ao lado da saída do metrô da Barra (sim, metrô!! esse paraíso além de tudo tem fácil acesso), você encontra um cais com vários barcos que irão te levar ao seu agradável destino.

Quando entra naquele barquinho e sente o vento batendo no rosto, a gente começa a desconectar de todo agito e se sente viajando pra algum lugar tranquilo longe da cidade grande.

Pousada Barra Eco Boutique: Ilha da Gigoia

A região repleta de bares e restaurantes é um convite para um delicioso almoço prolongado, um chopp com os amigos em um dos seus muitos bares ou uma noitada ao som de jazz. Além de super gostosas, as ilhas tem ótimas opções de programas que agradam a todos os públicos.

Se você quiser saber um pouco mais sobre a Gigoia, clique aqui.

Dez lugares com por do sol imperdível pelo Brasil: Arpoador - RJ

Que o por do sol é meu momento preferido do dia, não é segredo pra ninguém! Sou apaixonada por esse ritual e sempre reservo um tempinho para contemplar esse espetáculo em minhas viagens. Pra facilitar a vida dos amigos, a Paty resolveu listar dez lugares com por do sol imperdível pelo Brasil, dentre aqueles que visitei e voltei apaixonada.

Inclua eles na sua próxima viagem e reserve um tempinho para apreciar esse momento mágico! 😉

boas opções em Araras: La Belle Bruna

Araras e seu lindo cenário formado por montanhas e muito verde é um convite para um final de semana preguiçoso com muito conforto e taças de vinhos nos restaurantes da região. Para ajudar nessa missão “final de semana com charme na serra”, segue uma lista com cinco boas pousadas em Araras.

A listinha da Paty é formada por pousadas com charme e conforto, um belo visual, um bom café da manhã e muitos detalhes que fazem a diferença.

Qualquer uma delas é uma boa opção, é só escolher a que combina mais com o estilo do seu final de semana e aproveitar um final de semana com ar puro e boa gastronomia.

A serra fluminense é um convite ao “dolce far niente”,  afinal a região cercada de montanhas tem temperaturas abaixo da média, pousadas cheia de charme e ótimas opções gastronômicas. Mas a região também é cenário de passeios de ecoturismo e aventuras para aqueles que querem aproveitar o final de semana com mais movimento, o que torna a região um excelente programa para todos os públicos. Nesse post você vai encontrar: O que fazer em Araras para todos os gostos.

Bons restaurantes em Araras

Subir a serra de Petrópolis para descansar e comer bem é sempre um programa bem vindo. Para facilitar essa “árdua missão”, nesse post vou dar uma lista de ótimas opções gastronômicas em um cantinho delicioso e pouco explorado da região Serrana: Araras. O pequeno distrito menos badalado que a vizinha Itaipava, é cercada de verde, boas pousadas e ótimos restaurantes. Abaixo uma lista com opções de Bons restaurantes em Araras, nessa listinha estão os endereços imperdíveis para os apaixonados por boa gastronomia, que vão tornar seu final de semana ainda melhor.

Canto dos Tangarás

Adoro viajar e acabo me hospedando em vários hotéis e pousadas charmosos pelo Brasil afora, mas confesso que alguns desses lugares são tão especiais que já ganharam lugar cativo no meu coração. São refúgios cheios de conforto localizados em lugares tão mágicos, que a gente tem vontade voltar para eles sempre que precisa descansar, retomar o fôlego e seguir a vida. A Pousada Canto dos Tangarás, definitivamente, está nesse seleto grupo.

Quintal Gastronômico

Descobrir novos restaurantes sempre foi um dos meus programas preferidos e subir a serra para a região de Petrópolis, Itaipava e Araras também. Juntando essas duas coisas, no último mês fui conhecer os famosos restaurantes secretos de Itaipava, foi quando tive a felicidade de conhecer o Quintal Gastronômico.

Minha história com o Quintal e a querida Renata (uma das donas) começa quando comecei a ligar para esses restaurantes secretos para saber detalhes do menu e fazer a reserva para um dia de semana. Apesar do bom atendimento que tive pelo telefone, alguns restaurantes tinham algumas restrições: Não abriam no meio da semana, só teriam vaga para um grupo pequeno determinado dia, o menu era fechado e não poderíamos fazer alterações… nenhuma margem para negociação ou para atender uma cliente que só tinha durante a semana para fazer aquele programa. Achei meio impessoal para um restaurante casa, regras rígidas, pagamento antecipado, tudo meio frio e por whatsapp.

Bem, como não me apaixonei pelo menu oferecido e achei a relação custo x beneficio pouco interessante, resolvi ligar para o Quintal e certamente foi uma decisão acertada. O primeiro contato já foi uma grande surpresa, a primeira diferença é que a Renata vendo que eu tinha uma limitação de data durante a semana se propôs logo a me ligar.

Ligou, explicou o menu de sete etapas!, disse que poderia abrir uma exceção e nos atender em um dia da semana em que eles não abrem (eramos originalmente apenas 4 pessoas), detalhou os pratos do menu que faziam mais sucesso e nos deixou a vontade para escolher o menu que mais nos agradasse e nos deixou fazer o pagamento no dia… O resultado do primeiro contato foi uma ligação de uma hora de um papo leve, descontraído e cheio de boas histórias e eu virando fã desse lugar e da Renata, como se fossemos amigas de longa data.

Esse primeiro contato já deixa um pouco registrado como é a vibe do Quintal Gastrônomico: um lugar leve, pessoal, cheio de carinho, sem muitas restrições, aonde os clientes viram amigos, aonde os anfitriões fazem de tudo para agradar aos clientes e aonde a gente se sente em casa logo de cara.

 Quintal Gastronômico

Um pouco de história

Para entender esse lugar, só conhecendo a história desse casal que recebeu a gente tão bem. A história do Márcio e da Renata é movida a amor e por amor, e quando um lugar começa com todo esse sentimento envolvido,transborda e contagia a quem frequenta a casa.

O clima por ali é de amor, cumplicidade e parceria, e na minha opinião, isso explica porque a gente chega nessa casa e tem vontade de ficar muito tempo e se apaixona pela comida. Porque tudo ali é feito com sentimento, o que move esse lugar é fazer ao outro feliz e não somente a troca financeira. Essa premissa está dentro do que eu acredito: quando a gente faz o que ama, a gente é bem sucedido porque toca e encanta as pessoas.

Quintal Gastronômico

Márcio Carvalho, um carioca que decidiu morar em Itaipava em busca de uma vida mais tranquila, Renata Cavalcanti, uma paulistana frenética ligada a mil por hora produzindo lindos eventos e casamentos em Sampa. Renata, sócia da empresa Eventos e Idéias, que realiza grandes casamentos e eventos corporativos e dentre os muitos eventos importantes no seu currículo estão festival e jantares com renomados chefs internacionais e também ser uma das percursoras do Festival de gastronomia de Tiradentes 19 anos atrás,  o que deixa claro que a gastronomia já corria nas veias dessa paulistana fazia muito tempo…

Uma amiga decide apresentar essas duas almas de temperamentos tão diferentes em Itaipava, e quando eles se encontram o momento é tão mágico que eles não tem dúvidas e decidem ficar juntos e conviver com a distância. Depois de muita ponte aérea entre Itaipava e São Paulo, decidiram compartilhar a vida e morar na Serra. Nesse momento, ainda sem saber, começava a ser escrita a estória desse delicioso restaurante.

Imaginar alguém saindo de São Paulo, da agenda agitada e da produção de eventos para Itaipava aonde se pode escutar o barulho de uma folha caindo no chão! Não deve ser nada fácil. Fico pensando quanto de amor estava envolvido na decisão deles, porque requer uma dupla adaptação: Adaptação ao outro em uma época da vida aonde já temos manias e hábitos bem arraigados e a um tipo de vida muito diferente do que se estava acostumado… nessas horas não me canso de admirar o que o amor é capaz de fazer na vida das pessoas.

E ambos seguiam com essa adaptação na serra até que uma tarde, ao ter a visão da Renata vestida de paulista com tailleur, salto alto e escova no cabelo regando as plantas no Quintal, Márcio decide abrir mão da sua tranquilidade e montar alguma coisa para que a Renata se sentisse bem naquele lugar (como ele se sentia) e aonde ela pudesse usar toda a sua energia e criatividade em alguma coisa que lhe fizesse feliz.

Assim surgia o Quintal Gastronômico, um lugar para compartilhar bons momentos com as pessoas e fazer amigos. Eles juntos resolveram usar toda sua energia e amor para receber os clientes para longas refeições sem frescura, com um cardápio confiança afetivo, feito pelas mãos mágicas da Renata e assim aquela deliciosa casa aonde eles haviam decidido dividir a vida, ganharia movimento e bons momentos regados a vinho e boas risadas.

 

Nossa experiência no Quintal Gastronômico

Subimos a serra em uma quinta feira chuvosa, logo pela manhã Renata confirmou nosso horário de chegada. Quando ao telefone falo pra ela que só lamentava que o dia estava feio, ela me responde com sua energia contagiante: Imagina, aqui tá um dia lindo, um céu azul, subam que vai ser uma tarde ótima… ela tinha razão!

Ao chegar no endereço (no antigo endereço já que a quinze dias atrás eles mudaram de casa), nenhuma indicação ou placa do restaurante. O Quintal é uma casa de amigos e os amigos tem o endereço daqui, desse lugarzinho quase secreto. Não adianta procurar no Google, ele não sabe… só quem conhece é quem frequenta e quem tem o prazer de fazer a reserva para conhecer.

Renata e Márcio nos receberam na porta e nos conduziram para o quintal da casa (por isso o nome) e chegando lá começaram nossas surpresas, o lugar é uma graça! Belos objetos de decoração cheios de história convivem com peças modernas, luminárias penduradas de cabeça pra baixo, a bela mesa posta com guardanapo de tecidos e belos castiçais convivem com bules xícaras e plantas pendurados no teto, mas apesar de tantos itens diferentes, tudo é harmonioso e delicado. O lugar tem um pouquinho da história de cada um dos dois  em cada detalhe e isso fica muito visível quando a gente conhece eles melhor.

Quintal Gastronômico

Detalhes do Quintal Gastronômico

 

Quintal Gastronômico

Diferente de lugares estrelados, aonde você fica sem graça até quando deixa o talher cair no chão ou fica constrangida para dar uma risada mais alta, por aqui é tudo muito informal. Nada de impessoalidade ou excesso de etiqueta, aqui é um lugar para rir, conversar, tirar um gostoso cochilo na rede ou ver a chuva cair tranquilamente. Um lugar para comer uma deliciosa comida afetiva, sem pressa, tudo isso com a sensação de estar na casa de velhos amigos queridos.

Quintal Gastronômico

Os Anfitriões do Quintal

A comida é feita pela própria Renata, que apesar de servir uma comida “caseira”, põe a sua marca em cada prato com muito sabor e sofisticação. Bem como ela é:  linda e sofisticada porém querida. Dona de uma uma risada marcante e deliciosa e de um abraço de mãe que faz a gente se sentir acolhido.

Quintal Gastronômico

Enquanto Renata vai para cozinha preparar os pratos, Márcio conversa com a gente. Um papo agradável sobre vários assuntos diferentes aonde todos interagem. Depois de meia hora de papo, a mesa com seis pessoas conversa como velhos conhecidos.

Acho que essa informalidade e acolhimento que faz a gente gostar tanto desse lugar. E talvez por isso, e pela deliciosa comida, que os almoços esporádicos viraram cada dia mais frequentes, e a casa vem cada dia mais aumentando o seu funcionamento não só para os turistas que vem a serra, mas principalmente para os moradores da região que se transformaram em bons amigos.

 

Os pratos do nosso almoço

E depois de um tempo no agradável bate papo, chegou nossa deliciosa sopinha de boas vindas. Uma sopa quentinha de cenoura, servida em uma linda xícara de porcelana com cara de casa da avó. Aquela delicia, naquele dia frio trouxe aconchego e conforto pra gente e a certeza de que nosso almoço seria uma delicia.

Quintal Gastronômico

Em seguida, chegou nosso couvert. Uns mini croissants quentinhos e tão deliciosos que você não acredita que existe… acompanhados da manteiga de laranja que a Renata faz que é uma coisa de boa!!! Além disso tinha um pesto de pimentão assado delicioso, colhada seca caseira e uma caponata de berinjela… tudo perfeito. Eu teria ficado o resto do dia ali tomando vinho e comendo esse couvert, estava tão bom que saímos de lá com croissants e manteiga da Renata para comer em casa…

 

Quintal Gastronômico

 

Quintal Gastronômico

Em seguida chegaram umas trouxinhas de carpaccio de carne com boursin de cabra e molho pesto. Lindas, leves e delicadas, dava vontade de comer muitas delas. Aliás esse é um problema por aqui, tudo é tão bom que você tem vontade de repetir muitas vezes (Por aqui não há restrição sobre repetir os itens de forma comedida, claro!)

Quintal Gastronômico

Logo depois, uns inacreditáveis ovinhos de codorna assados na manteiga de ervas sobre um delicado biscoito de arroz com ovas… deliciosos! Depois de comer aquilo pensei: como alguém consegue fazer ovo de codorna ficar tão maravilhoso?! Aliás eu nem gosto de ovo de codorna… quero dizer, não gostava!

Quintal Gastronômico

Depois veio nossa saladinha, uma salada leve de lentilhas, camarões, tomatinho cereja com molho de azeite, tangerina e mostarda Anciete… uma explosão de sabor e delicadeza. Fresca e saborosa, também fez a felicidade do pessoal mais light da mesa.

Quintal Gastronômico

Em seguida, chegou a nossa cocotte com um fumegante bacalhau espiritual que foi um dos melhores que eu já comi na vida! Juro que nessa hora pensei: preciso almoçar aqui toda semana pra comer essas delicias!!!

Quintal Gastronômico

Bem, nessa hora me dei por vencida e disse que não comeria mais nada além da sobremesa, mas como boa gulosa que sou, não resisti e comi nosso prato principal.

Melhor dizendo, nossos pratos principais, porque para deixar a gente ainda mais feliz, a Renata fez dois pratos que eu havia dito serem nossos preferidos: o ossobuco de vitela assado com vinho, funghi com mousseline de baroa e o Medalhão de filet mignon com batatinha aos muros e legumes.

Quintal Gastronômico

Ambos incríveis, tudo por aqui foi de comer gemendo, aquele tipo de comida que enche a gente de felicidade e quando a gente lembra dela, tem vontade de comer tudo de novo (como está acontecendo comigo hoje).

Quintal Gastronômico

Bom e finalmente, vamos a um capítulo que eu amo, as sobremesas! E como era de se esperar, foram tão perfeitas como todo o percurso do nosso almoço.

Uma terrine de chocolate amargo com lâminas de amêndoas, creme inglês e calda de chocolate amargo que era pra comer rezando e agradecendo por essa maravilha. Eu te garanto que poucas vezes na sua vida você comeu uma sobremesa tão delicada e saborosa.

Quintal Gastronômico

A outra opção, igualmente deliciosa, foi um creme de maracujá servido na própria casca com calda de chocolate amargo que agradou até a mim que não ligo a minima para creme de maracujá. Leve e saboroso, uma excelente combinação de sabores.

Quintal Gastronômico

 

Resumo da tarde no Quintal Gastronômico

Nossa tarde nesse lugar tão querido foi ótima, uma delicia de almoço que começou no inicio da tarde e acabou já era noite. Esse Quintal cheio de boa comida e afeto, faz a gente querer ficar aqui por muitas horas e te asseguro que só não ficamos mais porque iriamos voltar para o Rio. Renata e Márcio fazem da sua casa um lugar de muito aconchego, uma casa aonde os os clientes viram amigos, que levam outros amigos e que voltam muitas vezes para  esse porto seguro de boa gastronomia e boas risadas.

Adoro Itaipava e frequento vários bons restaurantes da região, e pra mim o restaurante deles, certamente, está entre os meus preferidos. Não só pela boa comida, mas acima de tudo pelo clima do lugar..

Se você está indo para a Serra, não deixe de ligar e reservar para conhecer essa delicia de Quintal, senão estiver com ida agendada, o Quintal é um ótimo motivo para fazer esse passeio.

Um programa que sempre gostei de fazer nos finais de semana no Rio de Janeiro é fugir para Vargem Grande para almoçar nos bons restaurantes da região no meio do verde e do silêncio; longe dos engarrafamentos e do ritmo acelerado da nossa cidade. Mas infelizmente, de alguns anos pra cá essa equação começou a ficar um pouco mais complicada, seja pelo trânsito ou pela lei seca que impede que esse belo almoço venha acompanhado de um bom vinho… Desde então comecei a procurar pousadas na região e depois de algumas tentativas,  finalmente encontrei uma pousada cheia de charme e estilo que me encantou: A Maison VG!

Maison VG

Em busca da Pousada Perfeita

Nas minhas tentativas de hospedagem na região o que  procurava era um lugar aconchegante com boa gastronomia e conforto. Uma pousada romântica com cara de roteiro de charme e pra onde a gente tivesse vontade de voltar várias vezes…  Ao chegar na Maison VG tive certeza que minha busca tinha acabado, aquela pousadinha cheia de detalhes arrebatou nosso coração e fez a gente ter vontade de vir muitas vezes para Vargem Grande.

Maison VG

A região de Vargem Grande

Vargem Grande é um bairro localizado a 50 kilometros do centro da cidade porém com clima de cidade do interior. A proximidade do bairro com as praias selvagens do Rio e a floresta do Maciço da Pedra Branca, formam uma perfeita combinação da agradável brisa do mar com o clima das montanhas. Rodeado do silêncio (por aqui barulho somente dos grilos e pássaros), esse lugar faz a gente se sentir na serra sem precisar enfrentar estrada. Um verdadeiro  oásis de tranquilidade e boa gastronomia que merece ser visitado e revisitado muitas vezes. Seus restaurantes estrelados, cheios de charme e boa comida são um excelente motivo para cruzar a cidade.

 

A Pousada

A Maison VG é uma linda casa localizada em uma bucólica ladeira rodeada de verde que encanta a gente pelos detalhes. Apesar de rústica, a pousada tem decoração elegante, paredes com paleta de cores vivas contrastando com objetos de decoração vintage, tudo disposto em uma harmonia perfeita e parte disso é responsabilidade do chef que além de tudo é artista plástico.

Maison VG

 

 

 

 

Maison VG

 

 

 

 

 

 

 

 

A Maison VG em detalhes

Chegamos em Vargem Grande no inicio da noite de uma sexta feira do mês de agosto, depois de dirigir um longo caminho no meio daquele trânsito pesado do final da tarde. Mas quando a gente chegou ali tudo isso ficou pra trás. Um delicioso silêncio quebrado apenas pelos sons dos grilos, uma bela lua no céu e um agradável ventinho gelado vindo do verde já era o prenúncio de uma noite maravilhosa.

Na sede da casa  fomos recebidos pelo Cleiton que é o responsável por cuidar de todos os detalhes daquele charmoso lugar, como ele diz  “meu objetivo é fazer o hóspede se sentir feliz” e isso ele faz como ninguém.

 

A suíte da Maison VG

A Maison VG é uma pousadinha estilo Bed and Breakfast com apenas três suítes: Prainha, Grumari e Pontal, todas com estilo rústico elegante mas com decoração diferente entre si. Ficamos na suíte Grumari que com sua decoração cheia de bossa, cama king size, móveis de design vintage e seus livros de arte nos deixou muito felizes.

Maison VG

Detalhes da Suíte Grumari da Maison VG.

Maison VG

Atenção para os livros, as cores, as almofadas, as luminárias…

Maison VG

Olha essa geladeira vintage vermelha!! Olha esse ventilador estiloso!

Maison VG

Olha essa máquina de escrever também… O mais legal por aqui é que apesar de ter itens tão diferentes entre si, o conjunto deles é equilibrados e de muito bom gosto.

O restaurante

É impossível falar da Maison e não falar do seu restaurante. Uma bela sala com decoração clássica, uma gostosa lareira, luz de velas, quadros com fotos e uma mesa cuidadosamente posta formam o cenário do nosso romântico jantar. Em seguida somos recebidos pelo Chef e entendemos que a cozinha certamente é o coração dessa pousada, tem muita paixão envolvida nesse lugar.

 Maison VG

 

Maison VG

Um pouco de história do estrelado Chef

O chef holândes Jos Boomgaardt  é um apaixonado pelo que faz e apesar de seus mais de 40 anos de experiência, ele cozinha com o mesmo amor, cuidado com o cliente e simpatia de um jovem que está começando a trilhar esse caminho… acredito que essa é a grande diferença por aqui.

Maison VG

Chef Jos e sua eficiente equipe

A cozinha de Jos carrega uma assinatura única, com fusão de aromas e sabores das culinárias Tailandesa, francesa e holandesa. Através da sua gastronomia o Chef conta pra gente um pouco da sua história tão singular.

O experiente Chef (admirador de Paul Bocuse, Michel Guerard e Gastón Acurio) já comandou os premiados restaurantes Les Quatre SaisonsDe Beukenhof, ambos na Holanda com estrela do Guia MichelinApesar do sucesso de seus restaurantes, o incansável chef  deixou os restaurantes e foi para Ásia em busca de inspiração, na volta abriu em Amsterdam um outro fenômeno o Restaurante Yam “Fusion Cuisine”.

Anos de sucesso depois ele veio para o Brasil aonde montou um hotel conceito o Vivenda Les 4 Saisons, no Vale do Café, recomendado pelo Guia Condé Nast. Depois disso finalmente veio abrilhantar o Rio de Janeiro e Vargem Grande com o Maison VG.

Acho que com essa explicação dá pra gente entender porque eu fiquei tão apaixonada por esse lugar. Amor, perfeccionismo e cuidado com os detalhes são as palavras de honra por aqui.

 

O Menu da Maison VG

O restaurante da casa funciona da seguinte forma, ou você escolhe um dos dois menus fechados do Chef que incluem entrada, prato principal e sobremesa, ou você escolhe um prato a La carte.

Eu sempre que vou a um lugar como o Maison prefiro ser surpreendida pelo Chef, e agora depois de conhecer o currículo dele, eu recomendo veementemente que você não tenha dúvida e escolha o menu fechado.

O nosso jantar incluiu um couvert com torradinhas feitas pelo chef,  salada com patê de javali e figado de pato, um robalo de comer rezando e para sobremesa um super Créme brullé. Como não poderia ser diferente, tudo absolutamente irretocável.

Maison VG

As deliciosas torradas do Chef, fizeram tanto sucesso que pedimos BIS dessa maravilha.

 

Maison VG

A saladinha com Patê do Chef com Serrano e cebolinhas de Madagascar

Maison VG

Nosso delicioso Créme brullé.

O jantar da Maison é uma experiência gastronômica que indico para vocês conhecerem. Seja como hóspede ou não, embora eu ache que não dá para perder a oportunidade de acordar nesse lugar especial ao som do silêncio.

 

Grand Finale: o café da Manhã

Acordar nesse lugar é realmente um capítulo a parte. Uma brisa fresca no ar, serenata de passarinhos e um ar puro delicioso fazem a gente dormir maravilhosamente bem e acordar feliz da vida por aqui.

Maison VG

O café da manhã é servido no charmoso jardim que é bem decorada e tem um clima super bacana. Na mesa bem posta, delicadeza e flores. O café todo preparado pelo chef, possui vários itens deliciosos, mas os destaques pra mim foram: as deliciosas rabanadas holandesas (Amo rabanada e essa estava uma coisa), as saborosas geleias, a omelete de queijo e ceboulete para comer gemendo como diz uma amiga querida…

Maison VG

As rabanadas holandesas

 

Maison VG

O delicioso omelete.

 

Resumo do final de semana

O lugar é realmente muito especial seja enquanto pousada ou restaurante.  A equipe do Maison tem uma preocupação em te fazer feliz nesse pequeno paraíso e faz isso muito bem.

Não perca a oportunidade de fugir da rotina e aproveitar o sossego e o agradável clima dessa região (principalmente agora que começam as altas temperaturas) e sua excelente gastronomia… Garanto que você vai voltar pra casa muito mais feliz.

Maison VG

Nossa despedida dessa casa linda e dessa equipe tão querida que fez a gente se sentir na nossa casa.

Dica da Paty: lembre-se que a pousada só tem três suítes, ou seja, faça reserva com antecedência!

Maison VG Bistrô e Suítes

Estrada do Sacarrão, 867, casa 3, Vargem Grande.

Tel.: (21) 3228 9074 / 994 922 712

Horários de funcionamento bistrô:

De segunda a sexta, reservar com 24 horas de antecedência

Sábados, almoço de 13h30m às 17h e jantar de 19h30m às 23h30m.

Domingos  e feriados almoço de 13h30m às 17h.

Horários de funcionamento suítes: diariamente, 24 horas, mediante reserva.

Vila Saint Gallen

Uma das delicias de morar no Rio de Janeiro é ter várias opções de bons lugares seja no mar ou na montanha, a menos de duas horas de distância. Eu uso essa facilidade sempre que posso e um dos programas que adoro fazer essa época do ano é subir a serra, e nesse final de semana nosso destino foi Terê e a Vila Saint Gallen.

Subindo a Serra: Terê

Terê é uma delicia de cidade localizada a 90 km do Rio, a 900 metros de altura, e rodeada das montanhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos e do Parque estadual dos Três Picos. Um super programa cheio de verde, ar puro, boas pousadas e restaurantes.

A melhor opção é passar o final de semana (ou alguns dias) descansando e se reenergizando nessa região, mas algumas vezes (por n razões) não dá pra fazer isso e nesse caso acho que uma ótima opção é subir a serra ainda que seja só para almoçar.

Sim, porque não? Afinal a cidade está a uma hora e meia de distância do Rio e vale muito a pena dar um pulinho por lá para respirar novos ares, almoçar em um lugar bacana e voltar pra casa. Acho super válido fazer um programa bacana desses e de vez em quado uso essa opção de almoço bate e volta.

Se você gostou da ideia e topou  ir a Terê, é claro que o passeio tem que incluir aquela paradinha estratégica na estrada no mirante do Soberbo. É lá que a gente tira aquela clássica foto do famoso Dedo de Deus, a montanha da Serra do Mar que mais parece um dedo apontando para o céu e, por isso, tem esse nome.

Vila Saint Gallen: Vista Dedo de Deus

A cervejaria de Terê: Villa Saint Gallen

Dentre as boas opções de restaurante da cidade, sugiro a Villa Saint Gallen que é mais que um restaurante ou uma cervejaria, e sim um programa bacana em uma vila estilo alemã cheia de charme e de boas cervejas.

Vila Saint Gallen: Cervejaria Theresópolis

Foto site Vila Saint Gallen

A Vila St Gallen é um espaço temático da Cervejaria Therezópolis inspirado em uma vila germânica e diferente da cervejaria Bohemia em Petrópolis, aqui não é a fábrica deles e sim um lindo espaço para os amantes de cerveja e de boa comida. No lugar até existe uma mini cervejaria, para novas criações do mestre cervejeiro, e nesse lugar bacana também  acontece a visita  guiada com harmonização, que é um super programa para quem gosta de boa cerveja e suas combinações.

Vila Saint Gallen: Cervejaria Theresópolis

 

A Vila Saint Gallen e seus espaços

Mas vamos por parte, vamos contar um pouco do lugar. A St Gallen é um espaço com uma estrutura enorme com oito ambientes e que contempla vários restaurantes, uma vilinha alemã cheia de charme com jardins, mesinhas espalhadas, uma capelinha, um Café com boas opções de chocolates e sorvetes, uma loja de souvenirs com lembranças da Cervejaria Saint Gallen e uma Delicatessen.

Quando a gente atravessa o grande galpão de tijolinhos, na parte dos fundos, a gente se depara com um jardim cheio de mesinhas aonde também são servidas as refeições e com um lugar fofo que remete a uma cidadezinha alemã.

Vila Saint Gallen: Cervejaria Theresópolis

A Capela da linda Vila estilo Alemã. Corrigindo, alemã não, suíça já que o nome é inspirado em uma cidade de lá.

Impossível não se encantar com esse lugar tão lindinho cheio de detalhes. Reparou nas lavandas que coisa fofa?

Os Restaurantes da Vila

Quanto aos restaurantes, por ali tem o chamado Parrilla 1912, que é um restaurante super sofisticado, com lindos vitrais e um estilo bistrô parisiense que serve  bons cortes uruguaios.

Vila Saint Gallen: Cervejaria Theresópolis

Vila Saint Gallen: Cervejaria Theresópolis

A Abadia, que foi inspirada no refeitório do Mosteiro de St Gallen na Suiça, e que cujos monges beneditinos dali tiveram um destaque na história cervejeira como um dos mosteiros mais antigos da produção de cerveja. Nesse lugar super acolhedor são servidos deliciosos fondues de carne, queijo e chocolate nas noites frias de inverno da Serra.

Vila Saint Gallen: Cervejaria Theresópolis

 

E o restaurante principal, que é um lindo galpão todo de tijolinhos, que remete aquela cara de fábrica, que serve uma deliciosa comida alemã. Nesse lugar super bacana, você pode ver através do vidro o espaço cervejeiro aonde são produzidos alguns chopes especiais da Therezópolis, bem como os chopes sazonais e limitados produzidos a cada estação do ano, todos obviamente puro malte como deve ser.

Vila Saint Gallen: Cervejaria Theresópolis

Bier Tour: O Tour cervejeiro

Nessa mini cervejaria também acontece o Bier Tour, que é um tour  com visita guiada e degustação de cervejas. Durante a visita o sommelier explica a produção de cerveja e é realizada a degustação de 5 rótulos harmonizados com petiscos e no final você ainda leva uma taça exclusiva que não está a venda na lojinha.

Durante a explicação você vai ser lembrado que cerveja boa é aquela que só leva cevada, levedura, lúpulo e água e que muitas das cervejas que a gente bebe levam até milho!!! ou seja não é cerveja né?! Mas fique tranquilo, por aqui só cerveja de verdade, como manda a Lei da Pureza Alemã.

Vila Saint Gallen: Cervejaria Theresópolis

O preço desse tour é R$ 70,00 (por pessoa) e ele acontece as sextas, sábados e domingos em alguns horários na pate da tarde, vale dizer que ele é concorrido, por isso sugiro fortemente que você reserve antes.

Nesse espaço também acontece no último sábado do mês um curso de cerveja artesanal. Nesse curso você aprende as etapas do processo de produção, tem direito a almoço harmonizado, degustações, apostila e certificado. Se você é um apreciador de cerveja, vale entrar no site e reservar uma vaga.

Nosso almoço na Vila Saint Gallen

Bem, nossa escolha nessa última visita foi o restaurante alemão, mas optamos em ficar no jardim aproveitando o visual do Biergarten e sua linda vila germânica.

Os cardápios da casa são bem sugestivos, um deles é um grande chopp e o outro um porco, remetendo bem aos itens servidos por aqui.

Vila Saint Gallen

Para começar pedimos os croquetes, que certamente foi um dos melhores que eu já comi. Sequinho e crocante, super macio e bem recheado por dentro, deu vontade de comer várias porções.

 

Vila Saint Gallen

Depois pedimos uma porção de deliciosas salsichas alemãs (quatro tipos diferentes) super gostosas que vieram acompanhadas da salada de batata deles e do chucrute, que também estavam bem gostosos. O único defeito era a pouca quantidade de salada de batata… mas melhor assim senão a gente não almoçava. Pedimos, a parte, uma maionese de alho super gostosa que combinou muito bem com as salsichas.

No cardápio de bebidas, várias opções de cervejas e chopp que fazem a felicidade de qualquer cervejeiro.

Escolhemos duas cervejas: Tripel (belga com forte teor alcoólico) e Copper (uma APA bem refrescante). Que fique claro aqui que não escolhi nada, pois não sou boa cervejeira e nesse dia eu ainda era a motorista da rodada ou seja coca light pra pobre da Paty! 🙁

Vila Saint Gallen

Para prato principal, pedimos um delicioso Eisben (joelho de porco) acompanhado da salada de batata (apaixonada por salada de batata!!) que estava delicioso. Suculento, crocante, sequinho e bem temperado, pra quem gosta dessa iguaria estava um verdadeiro manjar.

Vila Saint Gallen

 Depois de toda essa comilança não precisava de sobremesa, e quem disse que tem que precisar!!
Obvio que a formiga aqui escolheu uma das sobremesas da casa e vale dizer que várias delas me deixaram com água na boca. Escolhi a rabanada com sorvete que estava boa, mas não estava de comer rezando não… Da próxima vez meu pedido vai ser a taça de nutella, fiquei aguada pensando naquela sobremesa.
Vila Saint Gallen

 Resumo da ópera: nosso almoço foi maravilhoso e valeu muito a pena subir a serra só para almoçar e passear na feirinha. O lugar é uma graça, o atendimento é super atencioso e é um bom lugar para passear com amigos e família.

Um super programa subir a serra para conhecer um pouco mais sobre as cervejas e comer bem naqueles restaurantes, fiquei com muita vontade de voltar para comer fondue na Abadia… mas já está na lista para próxima visita a minha querida Terê.
Não perca esse programa!
Tour cervejeiro – Reservas

Às sextas feiras:  15h | 19h30/ Aos sábados: 13h | 15h | 17h30 | 19h30/ Aos domingos: 12h30 | 14h30

 

Vila St Gallen
Rua Augusto do Amaral Peixoto, 166, Teresópolis – RJ
(21) 2642-1575